Análise SWOT: Como fazer uma matriz e qual a sua importância?


<a href='https://br.freepik.com/fotos-vetores-gratis/reuniao'>Reunião foto criado por rawpixel.com - br.freepik.com</a>


Toda organização, em seu ambiente interno e externo precisa identificar as diversas possibilidades de melhoria e otimização do seu desempenho, para isso, a análise SWOT é recomendada.


Essa análise é conhecida também como matriz FOFA, que é um método de realizar um planejamento estratégico englobando diversos cenários para a tomada de melhores decisões.


É importante a observação de 4 fatores fundamentais: Strengths, Weaknesses, Opportunities e Threats (FOFA), que em português é traduzido como: Forças, Oportunidades, Fraquezas e Ameaças.


Ela permite a detecção de riscos e ameaças em uma empresa de polimento automotivo, inserindo ações necessárias em seu planejamento estratégico para que uma força-tarefa seja montada, a fim de solucionar os problemas que surgem.

Por meio dela é possível tomar conhecimento dos pontos positivos e negativos, de algo específico que está ocorrendo, para que as decisões sejam mais inteligentes, impactando no crescimento futuro da empresa.


Quando se compreende as forças e as fraquezas (fatores internos) do serviço de mudança interestadual, por exemplo, o seu posicionamento organizacional fica mais alinhado à realidade do mercado em que atua, sendo ele sempre muito competitivo.

Quanto às oportunidades, elas mostram os aspectos favoráveis do contexto externo da empresa analisada e as ameaças, os aspectos desfavoráveis, também no mesmo ambiente externo.


Qual a importância da Análise SWOT


A análise SWOT, sendo uma ferramenta estratégica, tem o função no auxílio, análise e identificação dos ambientes internos e externos de uma organização e proporciona melhorias contínuas.


Ao utilizar-se dela tem como obter o conhecimento do todo, identificando qual dos dois ambientes influenciam no negócio de construção de piscina elevada, por exemplo, e se o seu crescimento pode ser ou não prejudicado.


Sua aplicação é importante, também, pois permite identificar antecipadamente quais as ameaças que podem impactar nos negócios oferecidos pela empresa.


Como aplicar a Análise SWOT


Como o seu papel é realizar planos para objetivos estratégicos com base no ambiente interno e externo, ela procura entender as razões dos planejamentos falharem dentro das empresas.


São utilizados alguns critérios de análise em uma oficina mecânica, por exemplo, e que antes do surgimento do SWOT ou FOFA, era conhecido como SOFT, o embrião que deu origem a tudo.


São eles:


  • Algo positivo no presente é uma Força;

  • Algo positivo no futuro é uma Oportunidade;

  • Algo negativo no presente é uma Fraqueza;

  • Algo negativo no futuro é uma Ameaça.


Com esses elementos identificados, uma empresa de sistema de rastreamento de frota diante das análises internas e externas pode implementar melhorias e alavancar os negócios e as vendas, sem prejuízos futuros, de forma organizada.


As Forças


São elementos internos do negócio, que podem potencializar a análise do objetivo estratégico e podem estar sob controle da empresa.

Alguns exemplos desses elementos são:


  • Características da equipe;

  • Ativos, como imóveis e equipamentos;

  • Localização privilegiada;

  • Relacionamentos estratégicos com outras empresas;

  • Networking dos investidores;

  • Portfólio de clientes.


As forças são muitas, mas é importante que a empresa foque nas que são mais importantes no negócio de prensa para latinha automática e que fazem diferença para a análise interna, realizada por meio de um diagnóstico empresarial.


As Fraquezas


Assim como a Força, as Fraquezas também são elementos internos que podem prejudicar a análise do objetivo estratégico. Mesmo que elas estejam sob o controle da organização, elas acabam não colaborando com a missão interna.


Algumas delas são:


  • Produto perecível;

  • Matéria-prima escassa;

  • Equipe não qualificada;

  • Tecnologia ultrapassada;

  • Falhas no processo de entrega.


Importante salientar que a ausência de uma força, pode mais a frente se tornar uma fraqueza no negócio de divisória corporativa e vice-versa, principalmente, se a equipe não for qualificada para programações em computadores.


As Oportunidades


São situações externas que quando analisadas corretamente afetam de forma positiva a empresa e mesmo que não estejam sob seu controle, ainda assim existe uma possibilidade de ocorrer. Exemplos:


  • Mudanças na legislação;

  • Mudanças no câmbio ou nas taxas de juros;

  • Possibilidades de investimento;

  • Desenvolvimento de novas tecnologias.


Elas são como sonhos, porém, precisam ser preparadas caso ocorram em uma empresa que trabalha com o negócio de mini escritório planejado, por exemplo, onde as situações repentinas podem ser trabalhadas para impactar positivamente.


As Ameaças


Elas também são situações externas e não estão sob controle da empresa, podem acontecer e atrapalhar a análise do objetivo estratégico.


Alguns exemplos destas situações são a entrada de um concorrente internacional no mercado, pirataria de produtos, escassez de mão de obra, greves e paralisações.


Vantagens encontradas na análise SWOT


São diversos os benefícios desta técnica, dentre eles pode ser citado o fato de ter muito pouco ou nenhum custo, qualquer pessoa que entenda a empresa pode realizá-la, e foca-se nos fatores mais relevantes que afetam o negócio.


Além de ajudar a entender melhor o negócio, e permitir que seja abordado fatores que precisam de correção.


Quando a empresa precisa fazer a Análise SWOT


Para funcionar corretamente ela deve ser realizada pela equipe antes de qualquer decisão estratégica, tática ou operacional que envolve um projeto para que seja capaz de mudar o jogo dos objetivos estabelecidos.


Esse é o momento de se questionar se vale a pena ou não a empresa lançar um novo produto ou serviço em uma região específica, bem como identificar se esse lançamento vai contribuir na abertura de uma nova filial, por exemplo.


Portanto, se esse produto ou serviço vai ser lançado, é interessante ou não criar um software interno para uma melhor gestão e mudar o escritório para um local maior e com uma localização melhor.


Bom se questionar, também, se a contratação de mais funcionários é benéfica e se alguém investisse no produto ou serviço, isto traz ou não benefícios para a empresa.

Em todo esse processo de análise é recomendável reunir a equipe envolvida e pensar profundamente nas forças, fraquezas, oportunidades e ameaças da organização, tornando, assim, o plano estratégico mais fácil.


Estando a matriz FOFA elaborada, as análises e planos de ação podem se iniciar. O principal ponte de análise é identificar o que está sendo analisado, para auxiliar na decisão a ser tomada, baseando-se em 4 níveis:


  • Estratégico – objetivos da empresa;

  • Tático – objetivos da equipe dentro da organização;

  • Operacional – objetivos do colaborador dentro da empresa;

  • Pessoal.


Todo cuidado é pouco para não usar o SWOT em decisões consideradas muito simples, para não burocratizar o processo, por exemplo, uma decisão pessoal entre ficar em casa ou ir trabalhar. Aqui não cabe uma análise profunda.


O exercício de como criar uma matriz SWOT começa quando o olhar se volta para dentro da empresa, identificando, por exemplo, quais as forças e fraquezas que podem impactar no objetivo estratégico definido.


O exercício de brainstorming realizado nas equipes envolvidas e que deve ser realizado para que os passos das estratégias sejam elaborados, concentra-se na identificação, por exemplo, de quais são os pontos fortes e fracos da empresa.


Assim como, também, identificar junto a elas as oportunidades e ameaças do mercado que podem ser reservadas para os próximos anos da empresa ou alertar se elas podem ou não se tornarem realidade.


Após ter a matriz SWOT montada, as primeiras estratégias devem ser as mais óbvias possíveis, tais como:


  • Potencialização das forças menos intensas;

  • Correção das fraquezas mais intensas;

  • Preparação para utilizar as oportunidades mais intensas;

  • Anulação das ameaças mais intensas.


Colocar a empresa em um cenário equilibrado significa que investir mais tempo para desenvolver forças e anular fraquezas sempre vale a pena, para ter a condição de tomar a decisão correta e estar pronto para isto.


Uma outra possibilidade é fazer uma análise SWOT cruzada, nas seguintes combinações:


  • Força + Oportunidade;

  • Força + Ameaça;

  • Fraqueza + Oportunidade;

  • Fraqueza + Ameaça.


A criação da matriz / análise SWOT (FOFA) é uma etapa essencial no planejamento estratégico de sucesso e os dados analisados são colocados em planilhas para facilitar o trabalho das equipes.


Considerações finais


Portanto, muitas empresas acabam não focando em suas gestões estratégicas, pois as rotinas operacionais tomam muito tempo das equipes envolvidas.


Isso pode ser compreendido, mas acaba não sendo correto. Direcionar o olhar apenas nas vendas, sem traçar os objetivos a longo prazo prejudica o andamento dos negócios empresariais e as organizações nunca sairão do lugar.


Por isso, a análise SWOT é uma excelente maneira de melhorar a organização interna, refinando os resultados para um crescimento adequado no futuro.


Com os relatórios obtidos, muito tempo é poupado e as decisões a serem tomadas pela empresa se tornam melhores, auxiliando na identificação das forças, fraquezas, oportunidades e ameaças.


Quando elas são bem trabalhadas, trazem vantagens extremamente benéficas para qualquer tipo de negócio, em segmentos diferentes.


O processo de análise SWOT facilita a criação e o acompanhamento das ações estratégicas, é um bom sistema de gestão que estando alinhado com os responsáveis, é de fundamental importância dentro de uma empresa.


Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

0 visualização0 comentário
 
link whatsapp